Lili, 1953


Estrelado pela fofíssima e talentosa Leslie Caron, Lili é um daqueles filmes que deixam a gente com um sorriso enorme no rosto ao assistir. Os atores Mel Ferrer, Jean-Pierre Aumont e Zsa Zsa Gabor abrilhantam o elenco.


Lili é uma jovem ingênua do interior que acaba de ficar órfã e não tem a quem recorrer. Ela decide ir para a cidade grande pedir ajuda para um antigo amigo de seu pai, porém descobre que ele também havia morrido. Um comerciante local, vendo a vulnerabilidade da jovem, decide lhe oferecer um emprego, mas com segundas intenções em mente, visando se aproveitar de sua situação. Lili é salva por um mágico mulherengo chamado Marc, por quem se apaixona perdidamente. O rapaz decide ajuda-la, arrumando para ela um emprego de garçonete no circo onde trabalha, mas a atrapalhada e inocente Lili logo acaba sendo demitida, ficando novamente sem trabalho e um lugar para morar. Desesperada e sem perspectivas, ela pensa em se suicidar quando sua atenção é desviada para alguns fantoches que começam a conversar com a moça. Na verdade, quem está movimentando os bonecos é o ex-dançarino Paul Berthalet, que por conta de um ferimento em decorrência da guerra, teve que abandonar a profissão e se dedicar ao teatro de fantoches. Por causa de sua enorme frustração, o rapaz está sempre sério e de mau humor, o que faz com que Lili o ache antipático. Por conta de sua pureza, ela não percebe quem está realmente falando com ela e acredita estar conversando com os personagens, fato que atrai a atenção do público em volta. Com o inesperado sucesso, ela é convidada a repetir a interação todas as noites. Paul é bastante introspectivo, mas acaba revelando seus sentimentos através de seus bonecos, fazendo com que Lili fique encantada com seus novos amigos, mesmo sem saber quem realmente está conversando com ela.

(Detalhe para a semelhança da boneca com Dercy Gonçalves hahahahaha)

Uma curiosidade interessante é que os hoje famosos e comuns emoticons tiveram uma de suas primeiras, digamos, aparições, no cartaz de divulgação do filme.


O longa foi baseado no conto The Man Who Hated People, escrito por Paul Gallico, e publicado em 28 de outubro de 1950, no The Saturday Evening Post. Tamanho foi o sucesso alcançado pelo filme, que Gallico expandiu a história, em 1954, com o título The Love of Seven Dolls. O filme foi adaptado para o teatro sob o título Carnival.


Uma das cenas mais famosas do filme, onde Leslie Caron e Mel Ferrer cantam Hi-Lili, Hi Lo, canção que se tornou bastante popular na época.


O filme recebeu o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original e foi indicado nas categorias de Melhor Atriz, Direção Artística em Cores (Cedric Gibbons, Paul Groesse, Edwin B. Willis, Arthur Krams), Direção (Charles Walters) e Roteiro Original.

Leslie Caron nos bastidores do longa

O dvd do filme foi lançado este mês pela Obras-Primas do Cinema em uma edição especial de colecionador, contendo como extras: Entrevista com Leslie Caron, um inédito curta-musical: Festa dos Piratas na Ilha Catalina e Trailer Original. Clique aqui ou aqui para comprar.

Não deixe de cadastrar seu e-mail para receber as notificações de novas postagens no blog.

Postagens mais visitadas deste blog

O filho que Alain Delon abortou

8 atores que se suicidaram

A verdadeira Elise McKenna