Violetas Imperiais, 1952


Violetas Imperiais (Violetas Imperiales) é um filme espanhol de 1952, protagonizado pelos astros Carmen Sevilla e Luis Mariano. Conta a história da cigana e cantora Violeta, que lê a mão da jovem Eugênia de Montijo durante um passeio em Sacramonte. A previsão feita é que Eugênia em breve se tornará imperatriz. Passado algum tempo, a profecia se torna realidade. Violeta, agora morando em Paris, se estabelece como criada pessoal de Eugênia, que encontra-se casada com Napoleão III. No local, vive também o primo da imperatriz, Don Juan de Ayala, um galanteador que se apaixona por Violeta e decide fazer de tudo para conquista-la. 



Há ainda duas versões anteriores ao clássico latino de 1952, ambas estreladas por Raquel Meller, uma de 1923, ainda na era do cinema mudo, e uma de 1932, na era falada.


Em 1938, o pintor Salvador Dalí deu o título de Violetas Imperiales a uma de suas obras surrealistas. 


Luis Mariano era conhecido como 'O Príncipe das Operetas'. Foi um tenor basco e viveu a maior parte de sua vida na França. Começou a fazer sucesso com a opereta La Belle de Cadix, em 1945, tornando-se uma grande celebridade. 


Carmen Sevilla ganhou popularidade como cantora, atriz e apresentadora de televisão. Trabalhou em grandes filmes como A Vingança (1958), Buscando a Mônica (1962) e no longa francês Don Juan (1956), além de produções americanas como O Rei dos Reis (1961) e À Sombra das Pirêmides (1972).


O filme está sendo lançado pela Classicline, tradicionalmente conhecida por suas belas edições, não fugindo à regra com esta versão colorizada. Encontra-se disponível nas melhores lojas do ramo, tais como: Livraria Cultura e Livraria da Folha.


Postagens mais visitadas deste blog

O filho que Alain Delon abortou

8 atores que se suicidaram

20 Funko Pops de filmes pra você se apaixonar