sábado, 24 de abril de 2021

Grandes nomes do cinema que nunca ganharam um Oscar


'Todo ator. todo diretor, todo mundo precisa de um Oscar. Você tem que ter aquela pequena estátua em Hollywood ou então você não é nada.' Foi o que disse certa vez a atriz Rita Hayworth. Uma espécie de consagração da crítica, o Oscar foi e continua sendo uma obsessão para muitos atores (as) e cineastas. Mas o fato é que, embora seja inegável a importância da premiação, sabemos que a Academia nem sempre é justa ou, pelo menos, nem sempre agrada a grande maioria. Abaixo você confere uma lista com astros de grande talento que acabaram nunca sendo agraciados com a estatueta:

* Aqui vou contar apenas o Oscar como atuação e direção.

Peter O'Toole


O ator irlandês detém o record em indicações ao Oscar sem nenhuma vitória. Ao aceitar o Oscar Honorário em 2003, Peter O'Toole ironizou: 'Sempre a dama de honra, nunca a noiva'. Ao todo, foi nomeado oito vezes na categoria principal, pelos filmes: 'Lawrence da Arábia' (Lawrence of Arabia, 1962), 'Becket' (1964), 'O Leão no Inverno' (The Lion in Winter, 1968), 'Adeus, Mr Chips' (Goodbye, Mr. Chips, 1969), 'A Classe Dominante' (The Ruling Class, 1972), 'O Substituto' (The Stunt Man, 1980), 'Um Cara Muito Baratinado' (My Favorite Year, 1982) e 'Venus' (2006).

Greta Garbo


A figura da sueca Greta Garbo emana fascínio e mistério, que perduram até os dias de hoje. Considerada uma das maiores atrizes do cinema, foi indicada por 'Anna Christie' (1930), 'Romance' (1930), 'A Dama das Camélias' (Camille, 1936) e 'Ninotchka' (1939), todas na categoria principal. Foi homenageada com o Oscar Honorário em 1955. A estatueta foi recebida por Nancy Kelly pois, reclusa, Garbo não compareceu à cerimônia. 

Richard Burton


Com uma indicação a menos que seu amigo Peter O'Toole, Richard Burton teve ao todo sete nomeações ao Oscar, pelos longas: 'Eu Te Matarei, Querida' (My Cousin Rachel, 1952), 'O Manto Sagrado' (The Robe, 1953), Becket (1964), 'O Espião Que Veio do Frio' (The Spy Who Came In from the Cold, 1965), 'Quem Tem Medo de Virginia Woolf?' (Who's Afraid of Virginia Woolf?, 1966), 'Ana dos Mil Dias' (Anne of the Thousand Days, 1969) e 'Equus' (1977). Apenas pelo primeiro filme foi indicado na categoria de ator coadjuvante.

Barbara Stawyck


Uma das atrizes mais versáteis do cinema clássico, Barbara Stawyck era capaz de atuar em comédias, dramas e filmes noir, interpretando mulheres sofredoras, golpistas e femme fatales com a mais absoluta maestria. Suas nomeações como Melhor Atriz foram pelos longas 'Stella Dallas' (1937), 'Bola de Fogo' (Ball of Fire, 1941), 'Pacto de Sangue' (Double Indemnity, 1944) e 'Uma vida por um fio' (Sorry, Wrong Number, 1948). Foi premiada com o Oscar Honorário em 1982.

Kirk Douglas


Embora seja considerado um dos maiores atores do cinema, Kirk Douglas teve apenas três indicações durante sua carreira, todas na categoria principal, pelos filmes: 'O Invencível' (Champion, 1949), 'Assim Estava Escrito' (The Bad and the Beautiful, 1952) e 'Sede de Viver' (Lust for Life, 1956). Foi agraciado com o Oscar Honorário em 1996.

Deborah Kerr


Heroína romântica de inúmeros clássicos, a atriz escocesa Deborah Kerr teve 6 indicações ao Oscar de Melhor Atriz, obtendo apenas o Oscar Honorário em 1994. Foi nomeada por 'Meu Filho' (Edward, My Son, 1949), 'A Um Passo da Eternidade' (From Here to Eternity, 1953), 'O Rei e Eu' (The King and I, 1956), 'O Céu É Testemunha' (Heaven Knows, Mr. Allison, 1957), 'Vidas Separadas' (Separate Tables, 1958) e 'Peregrino da Esperança' (The Sundowners, 1960).

Cary Grant


Dotado de grandes doses de charme e carisma, Cary Grant é basicamente a personificação perfeita de um astro de Hollywood da Era de Ouro. Vencedor do Oscar Honorário em 1970, o ator, no entanto, foi indicado apenas duas vezes ao prêmio por sua atuação, pelos longas 'Serenata Prateada' (Penny Serenade, 1941) e 'Apenas Um Coração Solitário' (None But the Lonely Heart, 1944).

Judy Garland


Apesar de sua brilhante carreira e da imensa popularidade de seus filmes, a atriz foi nomeada apenas duas vezes ao Oscar, na categoria principal por 'Nasce Uma Estrela' (A Star Is Born, 1954) e como coadjuvante em 'Julgamento em Nuremberg' (Judgment at Nuremberg, 1961). Foi a vencedora em 1940 do extinto 'Oscar Juvenil', por seu desempenho como atriz infantil. O prêmio foi concedido pela última vez em 1961, para Hayley Mills.

Steve McQueen


Apelidado de 'The King of Cool', Steve McQueen estrelou diversos filmes que se tornaram clássicos e o elevaram ao primeiro escalão dentre os atores de sua época. No entanto, surpreendentemente, ele foi indicado ao Oscar apenas uma  única vez, pelo seu desempenho em 'O Canhoneiro do Yang-Tsé' (The Sand Pebbles, 1966).

Natalie Wood


Atriz desde a infância, Natalie Wood teve a carreira imposta por sua mãe. Ao longo dos anos, desenvolveu seu talento ganhando espaço com papéis adultos e desafiadores, tornando-se um dos grandes nomes de sua época. Foi indicada como coadjuvante por 'Juventude Transviada' (Rebel Without a Cause, 1955) e na categoria principal por 'Clamor do Sexo' (Splendor in the Grass, 1961) e 'O Preço de um Prazer' (Love with the Proper Stranger, 1963).

Montgomery Clift


Um dos rostos mais bonitos do cinema, Montgomery Clift provou também sua competência ao longo da carreira, tendo sido um dos primeiros atores a adotar 'O Método', que consagraria nomes como Marlon Brando e Al Pacino, através da técnica idealizada por Lee Strasberg. Foi nomeado ao Oscar quatro vezes, sendo as três primeiras como protagonista e a última na categoria coadjuvante, respectivamente pelos filmes: Perdidos na Tormenta (The Search, 1948), Um Lugar ao Sol (A Place in the Sun, 1951), A Um Passo da Eternidade (From Here to Eternity, 1953) e O Julgamento de Nuremberg (Judgment at Nuremberg, 1961).

Lauren Bacall


A atriz precisou lidar com o estigma de ser apenas a 'esposa de Humphrey Bogart' no início de sua carreira mas ao longo dos anos mostrou seu talento e versatilidade, conseguindo o respeito dos críticos e a aclamação do público. Entretanto, sua única indicação ao Oscar veio na categoria secundária por seu desempenho em 'O Espelho Tem Duas Faces' (The Mirror Has Two Faces, 1996). Em 2010, foi reconhecida com um Oscar Honorário.

Charlie Chaplin


Bom, a verdade é que Chaplin ganhou ao todo três estatuetas, no entanto, duas foram honorárias - em 1929, como um Oscar especial, e uma em 1972, pelo conjunto de sua obra - além do Oscar de Melhor Canção Original por 'Luzes da Ribalta' (Limelight, 1952), concedido apenas em 1973, já que o longa só havia sido lançado nos EUA no ano anterior. Embora tenha sido um gênio em sua época, atuando e dirigindo, recebeu apenas indicações por 'O Grande Ditador' (The Great Dictator, 1940), como Melhor Ator e como Melhor Roteiro Original, e por 'Monsieur Verdoux' (1947), também como roteirista.

Marlene Dietrich


Um dos maiores ícones do cinema e da moda, Marlene Dietrich foi uma das mais famosas estrelas da década de 1930. Embora ela própria se considerasse muito mais uma personalidade do que uma atriz propriamente dita, seu estilo e sua presença nas telas a tornaram uma lenda. Recebeu uma única nomeação ao longo da carreira, pelo filme 'Marrocos' (Morocco, 1930).

Orson Welles


'Cidadão Kane' (Citizen Kane, 1941) é considerado por muitos o maior filme da história do cinema, elevando seu astro e idealizador, Orson Welles, ao patamar de gênio. A Academia, por sua vez, não deu tanto valor ao longa que, apesar de indicações para Melhor Filme, Melhor Ator e Melhor Diretor para Welles, além de algumas nomeações técnicas, recebeu apenas a estatueta de Melhor Roteiro Original, dividida pelo próprio ator com seu colega Herman J. Mankiewicz. Em 1971, Orson Welles foi reconhecido com um Oscar Honorário. 

Angela Lansbury


Grande dama do teatro e da televisão, Angela Lansbury se mantém ativa também nas telonas. Ao todo, teve três indicações, todas como coadjuvante, pelos filmes 'À Meia Luz' (Gaslight, 1944), 'O Retrato de Dorian Gray' (The Picture of Dorian Gray, 1945) e 'Sob o Domínio do Mal' (The Manchurian Candidate, 1962), sendo agraciada em 2014 com um Oscar Honorário.

William Powell


Embora não seja tão conhecido nos dias de hoje, William Powell foi um dos atores mais respeitados de sua geração, nomeado ao Oscar pelos filmes 'A Ceia dos Acusados' (The Thin Man, 1934), 'Irene, a Teimosa' (My Man Godfrey, 1936) e 'Nossa Vida com Papai (Life with Father, 1947).

Irene Dunne


Assim como Powell, citado acima, Irene Dunne foi uma das grandes estrelas de sua época e que infelizmente é pouco lembrada na atualidade. Foi indicada ao Oscar na categoria principal por 'Cimarron' (1931), 'Os Pecados de Theodora' (Theodora Goes Wild, 1936), 'Cupido é Moleque Teimoso' (The Awful Truth, 1937), 'Duas Vidas' (Love Affair, 1939) e 'A Vida é um Sonho' (I Remember Mama, 1948).

Alfred Hitchcock


Muito embora tenha recebido um Oscar Honorário em 1968 e seu primeiro longa em Hollywood, Rebecca (1940) tenha vencido como Melhor Filme, o cineasta nunca foi premiado como Melhor Diretor. Suas indicações foram por 'Rebecca, a Mulher Inesquecível' (Rebecca, 1940), 'Um Barco e Nove Destinos'(Lifeboat, 1944), 'Quando Fala o Coração' (Spellbound, 1945), 'Janela Indiscreta' (Rear Window, 1954) e 'Psicose' (Psycho, 1960).

Jean Simmons


Unindo talento, beleza e popularidade, Jean Simmons estava sempre presente em algumas das grandes produções do cinema. No entanto, possui apenas duas nomeações, como coadjuvante em 'Hamlet' (1948) e como atriz principal em 'Tempo para Amar, Tempo para Esquecer' (The Happy Ending, 1969).

Nenhum comentário:

Postar um comentário