10 filmes com Brigitte Bardot


Musa na década de 60, Brigitte Bardot atraía olhares por onde passava e fascinou o público com sua sensualidade. Ícone da moda, polêmica e amante dos animais, a atriz é um dos maiores nomes do cinema francês. Confira abaixo alguns de seus mais importantes trabalhos:

1- E Deus Criou a Mulher (Et Dieu... créa la femme, 1956)


Na pequena comuna de Saint-Tropez, a sedutora órfã Juliette é o objeto de desejo de todos os homens. Ela provoca o milionário Eric e se sente atraída por Antoine. Para fugir do orfanato, ela aceita se casar com Michel, o irmão mais jovem de Antoine.

2- Amar é Minha Profissão (En cas de malheur, 1958)


A belíssima prostituta Yvette (Brigitte Bardot) torna-se amante do influente defensor público Andre (Jean Gabin). Apesar de ter dinheiro o suficiente para cobri-la de jóias e peles raras, Andre sabe que não consegue comprar o coração da moça. O corpo e a alma de Yvette pertencem ao belo estudante Mazzetti (Franco Interlenghi), um jovem ciumento e perigoso que fará de tudo para terminar o caso de sua namorada com o advogado.

3- Vingança de Mulher (Les bijoutiers du clair de lune, 1958)


No meio rural da Espanha, Brigitte Bardot interpreta Ursula, uma jovem que acaba de sair do convento para morar com sua tia Florentine e seu rude e violento marido, o conde Ribera, que por algum motivo desconhecido quer ver morto um jovem da região, Lamberto, e por quem Ursula se apaixona. Em um confronto, Lamberto mata Ribera em auto-defesa. Ursula descobre pouco depois o motivo da briga foi um romance proibido entre ele e sua tia. Mas, ao saber que Lamberto não tem intenção de ficar ao seu lado, Florentine não sustenta seu álibi junto à polícia, forçando-o a fugir. Ursula, sempre impulsiva, vai a seu encontro e os dois procuram juntos uma forma de deixar o país.

4- Quer Dançar Comigo? (Voulez-vous danser avec moi?, 1959)


Depois de uma discussão com a mulher, Hervé conhece uma mulher sedutora numa boate. Ela o convida para a sua casa. Mas a aventura inconsequente transforma-se logo em tragédia: a jovem é assassinada e Hervé se vê envolvido na investigação.

5- A Verdade ( La Vérité, 1960)


Dominique Marceau (Bardot) é julgada pela morte de seu amante Gilbert Tellier (Frey) e aos poucos, durante o processo, todos os ângulos da imagem da ré começam a aparecer, de acordo com o ponto de vista de sete testemunhas do caso, cada qual com a sua própria verdade definitiva.

6- Vida Privada (Vie privée, 1962)


Jill é uma jovem de dezoito anos que vive uma confortável vida de classe média alta com sua mãe viúva na Suíça e desenvolve uma paixão por Fabio, o marido de uma amiga, não correspondida. Ela se muda então para Paris, para trabalhar como modelo e dançarina e é descoberta por um produtor, que a transforma numa grande estrela de cinema. As pressões e o incômodo da fama, do assédio dos fãs e da imprensa afetam sua vida e sua mente de tal maneira que ela retorna à Suíça para se recuperar e lá tem um caso de amor com o agora divorciado Fabio, mas a pressão da fama continua a persegui-la, o que levará a trágicas complicações em sua vida privada.

7- O Desprezo (Le mépris, 1963)


Paul Javal é um roteirista que vai a Roma para trabalhar em uma adaptação da obra A Odisséia, que contará com a direção do cineasta alemão Fritz Lang. Enquanto decide os últimos detalhes para aceitar o trabalho, sua relação com a esposa, Camille, começa a desabar, em um jogo de paixão, ciúmes e desprezo.

8- Viva Maria! (1965)


Em um país imaginário da América Latina, Maria é a filha de um terrorista irlandês que, ao perder o pai, conhece outra Maria, cantora. As duas montam um número em um circo e acabam se envolvendo com um líder revolucionário na luta contra a ditadura.

9- Histórias Extraordinárias (Histoires extraordinaires, 1968)


Metzengerstein, dirigido por Vadim, conta a história de uma condessa promíscua (Jane Fonda) que se apaixona por um barão (Peter Fonda), seu primo, e rejeitada por ele por seu comportamento amoral, incendeia seus estábulos, causando a morte do barão no incêndio, quando tentava salvar seus cavalos premiados. Um cavalo negro selvagem escapa do incêndio e foge para o castelo de Metzengerstein, onde vive a condessa, que, impressionada com sua beleza, resolve domá-lo e tê-lo para si. Durante uma tempestade de raios, o cavalo a arrasta para o incêndio que os raios haviam causado.

William Wilson, dirigido por Malle e ambientado no século XIX, conta a história clássica do duplo (Doppelgänger), que persegue o personagem do título (Delon) por toda sua vida, acentuado-se nos momentos mais cruéis de sua existência. Brigitte Bardot é Giuseppina, uma jogadora que desafia Wilson numa mesa de pôquer. Enquanto jogam, seu duplo (também Delon), convence a todos que Wilson trapaceou nas cartas, o que causa seu assassinato a facadas por Wilson. Após se confessar com um padre, Wilson comete suicidio pulando da torre 'Palazzo della Ragione', e em seu corpo é encontrada uma faca cravada nas costas.

Toby Dammit, inspirado livremente no terceiro conto de Poe, é dirigido por Fellini. Conta a história do ator shakespeariano Toby Dammit (Stamp), que afunda na carreira devido ao alcoolismo e para voltar ao sucesso faz um pacto com o Diabo, perdendo a vida e a cabeça, num acidente com a Ferrari que ganhou como pagamento por seu último filme.

10- As Petroleiras (Les pétroleuses, 1971)


Duas famílias de criminosos disputam a liderança de Bougival Junction. A família de Marie comanda a cidade até aparecerem os filhos do lendário criminoso Frenchie King. Liderados por Louise, eles querem assumir o rancho que receberam de herança.

Postagens mais visitadas deste blog

8 atores que se suicidaram

O filho que Alain Delon abortou

20 Funko Pops de filmes pra você se apaixonar