Conheça Guerra e Paz, a obra-prima de Liev Tolstói e um orgulho para a cultura russa


Liev Tolstói foi um dos grandes mestres da literatura do século XIX, destacando-se em seu país juntamente com outros escritores como Dostoiévski, Turgueniev, Gorki e Tchecov. Embora autor do grande clássico Anna Karenina, inúmeras vezes adaptado para as telas, onde critica fortemente a aristocracia russa e apresenta ao público uma das protagonistas femininas mais polêmicas e intensas da literatura (e do cinema, consequentemente), a grande obra-prima do autor é o romance Guerra e Paz, publicado no período de 1865 até 1869. Um dos maiores livros da literatura russa e mundial - em termos de importância, mas também de tamanho - narra com riqueza a história da Rússia, focando-se no período das Guerras Napoleônicas, retratando inúmeros personagens, descritos de maneira bastante realista, incluindo características psicológicas. Foi um enorme sucesso em sua época de lançamento, fato que surpreendeu até mesmo o próprio Tolstói.

Liev Tolstói

A Versão Americana



Em 1956, dirigido por King Vidor, estreou a versão ítalo-americana do longa, tendo como protagonistas Henry Fonda e Audrey Hepburn, que na época havia recebido o salário mais alto pago até então para uma atriz, 350 mil dólares, para atuar no longa. O filme tornou-se um enorme sucesso e foi indicado ao Oscar nas categorias de melhor diretor, melhor figurino e melhor fotografia.

Essa história é nossa! Um filme russo de uma obra russa



Com o sucesso da versão americana, que atraiu um grande público e foi aclamada pela crítica, a União Soviética, grande rival dos Estados Unidos, decidiu fazer sua própria produção da história, afinal de contas Guerra e Paz era uma obra Russa! Era uma questão de honra superar os americanos e fazer a melhor versão do clássico, totalmente produzida pela União Soviética, com atores locais. Assim, começou a ser feita uma superprodução, que levou ao todo sete anos para ser concluída, e contou com a colaboração de todo o país, desde o governo, passando pelo exército, até seus cidadãos.

Riqueza de detalhes



Sergey Bondarchuk recriou meticulosamente as batalhas das Guerras Napoleônicas. A batalha de Borodino contra a invasão de Napoleão é a maior cena de batalha já filmada, tendo levado dois anos para ser feita, além de um ano pós-produção. Contou com 300 atores e 120 mil figurantes envolvidos. Cerca de 200 canhões e 100 mil rifles foram usados na batalha; Uma réplica do centro de Moscou foi construída em Volokolamsk para fazer a cena em que a cidade pega fogo. A réplica foi completamente incendiada durante a filmagem. Foram utilizados mais de 103 locais de filmagem e foram construídos mais de 100 sets nos estúdios. A equipe completa da produção contou com mais de mil profissionais.

A História


Dividido em quatro partes, o filme narra a tentativa de invasão de Napoleão Bonaparte, em paralelo com os costumes e a vida da sociedade russa do século XIX, mostrando as tradições e o heroísmo do povo, focando-se nos romances, na participação na Guerra e nos acontecimentos das vidas de seus protagonistas.

Guerra e Paz I – Andrey Bolkonskiy (Voyna i mir I: Andrey Bolkonskiy, 1965)

O Príncipe Andrei Nikolayevich Bolkonsky, alista-se no Exército Imperial Russo como ajudante do General Mikhail Kutuzov durante a guerra da Terceira Coligação contra Napoleão Bonaparte. Bolkonsky faz parte de uma campanha fracassada na Áustria participando da Batalha de Schöngrabern e da Batalha de Austerlitz. Ele é seriamente ferido e incorretamente dado como morto. Bolkonsky consegue voltar para casa e conhece Natasha Rostova, a jovem filha de um conde.

Guerra e Paz II – Natasha Rostova (Voyna i mir II: Natasha Rostova, 1966)

Nikolayevich Bolkonsky se apaixona por Natasha Rostova e pede ela em casamento, porém o pai de Rostova pede para eles esperarem. O príncipe viaja para o exterior, porém, Rostova conhece Anatol Vasilyevich Kuragin e esquece Bolkonsky, os dois acabam tendo um caso, Bolkonsky descobre o romance dos dois e anuncia o fim do noivado.

Guerra e Paz III – O Ano de 1812 (Voyna i mir III: 1812 god, 1967)


O exército de Napoleão invade a Rússia. Bezukhov é enviado para acompanhar o iminente confronto entre os dois exércitos, ele se voluntaria para ajudar na artilharia durante a Batalha de Borodino. A unidade de Bolkonsky espera na reserva, mas ele é atingido por um tiro de canhão.

Guerra e Paz IV – Pierre Bezukhov (Voyna i mir IV: Pierre Bezukhov, 1967)

Enquanto Moscou é queimada pelos russos em retirada, os Rostovs fogem de sua propriedade e no caminho levam vários soldados feridos com eles. Sem a família saber, entre esses soldados está Bolkonsky, depois dos franceses serem forçados a se retirar, ele marcha junto com a Grande Armée durante meses até ser libertado por um ataque surpresa dos russos. Os franceses são derrotados por Kutuzov na Batalha de Krasnoi, Bolkonsky é reconhecido e levado até sua propriedade.

A superprodução soviética tornou-se um grande sucesso, aclamada pela crítica e considerada uma adaptação ousada e impressionante, vendendo aproximadamente 135 milhões de bilhetes por meio de seu país natal. Guerra e Paz também ganhou o Grand Prix no Festival Internacional de Cinema de Moscou , o Globo de Ouro de melhor filme em língua estrangeira e o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro. A protagonista Lyudmila Savelyeva recebeu o Oscar em nome da equipe.



Lançamento no Brasil


Tão bem feito quanto a própria produção, o filme acaba de ser lançado no Brasil em uma edição lindíssima, com mais de duas horas de extras, além de três cards. Em formato de digistack, o longa está dividido em três discos e foi lançado pela sempre competente Obras-Primas do Cinema. Você encontra nas melhores lojas do ramo, como a Livraria Cultura.

Postagens mais visitadas