A atriz mais odiada de Hollywood


Joan Crawford é uma das atrizes mais odiadas e subestimadas do cinema americano. Devido ao livro lançado por sua filha adotiva, Christina Crawford, Joan é conhecida nos dias de hoje muito mais por sua reputação como uma mãe cruel e abusiva do que por sua extensa carreira como atriz. Lançado após sua morte, o livro Mamãezinha Querida (Mommie Dearest) conta detalhes sobre os supostos maus-tratos impostos aos seus filhos durante a infância e adolescência deles. Mas o que muita gente se esquece é que uma história sempre tem dois lados e Joan Crawford jamais teve a chance de se defender ou contar sua versão dos fatos. Até mesmo sua grande rival, Bette Davis, chegou a defende-la das acusações de sua filha: 'Eu não era a maior fã de Miss Crawford, mas, piadas à parte, eu respeito e sempre respeitarei o seu talento. Ela não merecia um livro detestável escrito por sua filha. Eu esqueci o nome dela. Horrível. Eu olhei para aquele livro, mas eu não tinha necessidade de lê-lo. Eu não iria ler um lixo como esse, e eu acho que foi uma coisa terrível, terrível para uma filha fazer. Uma abominação! Fazer algo assim para alguém que te salvou do orfanato, lares adotivos, quem sabe o que. Se ela não gostava da pessoa que a escolheu como filha, ela estava crescida e poderia escolher sua própria vida. Eu me senti muito triste por Joan Crawford, mas eu sabia que ela não iria apreciar a minha pena, porque essa é a última coisa que ela teria querido, que alguém tivesse pena dela, especialmente eu.'


Decidi falar um pouco - e com absoluta sinceridade - sobre esta atriz que tanto gosto e que recebe tamanha hostilidade. Em minha página no facebook, frequentemente há comentários negativos em suas fotos e as curtidas são geralmente menores do que a de outros artistas. Percebo que, de uma maneira geral, as pessoas costumam ter uma antipatia gratuita por ela, mesmo sem sequer ter lido o livro de sua filha. Há uma espécie de 'Pré-conceito' sobre ela, que vai desde sua vida pessoal até sua aparência física. 


Em minha opinião, Joan Crawford era uma grande atriz, mas acima de tudo, um ser humano. Longe de ser perfeita e com qualidades e defeitos, possivelmente muitos ataques de estrelismo e diversos amantes, porém sem ser o monstro que muitos imaginam. Em sua vida pessoal jamais saberemos como era de fato, assim como diversos outros ícones do cinema extremamente aclamados apenas por seu talento.


No entanto, temos a oportunidade de conhecer mais sobre sua carreira e comprovar seu talento ao assistir seus filmes. Muitos não o fazem simplesmente por preconceito ou por 'não ir com a cara' e acabam por jogar fora a chance de ver grandes clássicos com excelentes atuações. 


Em novembro, a distribuidora Obras-Primas do Cinema prestou uma merecida homenagem à Estrela lançando dois de seus filmes ainda inéditos no Brasil em uma edição dupla com extras. Para quem quiser conhecer mais sobre ela, esta é uma ótima oportunidade. 


O dvd contém os seguintes filmes:

- Caminho da Redenção (Flamingo Road, 1949, 94 min.)

A dançarina Lane Bellamy (Joan Crawford), vai parar em uma pequena cidade do interior governada pelo corrupto Titus Semple (Sydney Greenstreet). Ela então se envolve com o xerife local, que é fortemente influenciado por Semple. Vendo em Lane uma ameaça, Semple planeja uma maneira de expulsála para da cidade.

(Idioma: Inglês / Legendas: Português – Inglês / Formato: Fullscreen 4:3).

- Três Amores (Sadie McKee, 1934, 93 min.)

Sadie McKee (Joan Crawford) é apaixonada por um homem que a desprezou. Sozinha e desprezada, começa a trabalhar em uma boate, onde conhece um bilionário que se apaixona por ela. Apesar de aceitar sua proposta de casamento, não está feliz devido à rejeição da sua família que pensa que é uma aventureira que se casou apenas por sorte.

(Idioma: Inglês / Legendas: Português – Inglês / Formato: Fullscreen 4:3).

- Extras

Joan Crawford na Warner (12 min) – Adaptação de rádio do filme “Caminho da Redenção” (25min).

Você encontra a edição em lojas como: Colecione Clássicos, Livrarias Curitiba e 2001 Vídeos, dentre outras.

Postagens mais visitadas deste blog

O filho que Alain Delon abortou

8 atores que se suicidaram

A verdadeira Elise McKenna